A presença do pai na sala de parto, não pode ser uma imposição, nem uma decisão inspirada em modismos. Existem homens que não toleram ambientes hospitalares e mulheres que ficam constrangidas com a presença do parceiro.

Antes de decidir é importante que o casal converse e entre em contato com fantasias, desejos e ansiedades. Convém lembrar que o pai não precisa tomar decisões, nem ser testemunha de atos cirúrgicos, ou de procedimentos médicos enquanto seu filho se prepara para chegar.

Ao pai cabem palavras de incentivo, a torcida e a magia do nascimento. A experiência com pais em sala de parto tem sido extremamente gratificante para todos.

O pai desempenha um papel importante na relação mãe-bebê e na relação com a equipe médica.

Uma mulher em trabalho de parto, na maioria das vezes precisa de apoio e seu companheiro é a pessoa mais indicada para isto.

O trabalho de parto também é cansativo para o acompanhante, assim, convém fazer intervalos para se alimentar e mesmo para descansar, pois o cansaço pode atrapalhar a concentração.

Conversem com o seu médico, e verifiquem com antecedência se existe alguma limitação para a presença do pai no centro obstétrico e quais as providências necessárias para que ele possa participar do nascimento de sua família.