Por que fazer um Plano de Parto? E para quê ?
Para que a gestante e o casal possam conversar com a equipe médica, antecipar decisões, buscar informações, sugerimos um Plano de Parto que leve em consideração a condição “não planejada” do parto e nascimento.  O ideal é que cada casal construa o seu próprio roteiro de perguntas, e conheça um pouco mais como funciona a equipe médica.

A seguir algumas sugestões:

Equipe Obstétrica:
– Como funciona a equipe obstétrica? Final de semana, feriados, férias, especialidades…
– Se algo impedir a presença do obstetra no dia do parto, quem o substituirá?
– Qual o período de férias do obstetra?
– Como posso localizar o médico no dia do parto? Ligo para o consultório ou a maternidade entra em contato com ele?
– Como proceder se o trabalho de parto começar de madrugada? Devo avisar o médico ou ir direto para a maternidade?
– Em que momento do trabalho de parto o obstetra chega à maternidade?
– Posso telefonar para o meu médico se tiver alguma dúvida?

Maternidade:
No caso de não haver vaga na maternidade escolhida, como proceder?
– Se for uma opção do casal, o pai pode entrar em sala de parto? Existe uma taxa específica a ser paga?
– Quem orienta o pai na sala de parto?

Procedimentos:
É possível esperar, por um parto vaginal, até o final da 41° semana de gestação?
– O rompimento espontâneo da bolsa das águas, no começo do trabalho de parto, implica necessariamente em cesariana? Quanto tempo é possível esperar?
– É possível tomar água e se alimentar durante o trabalho de parto?
– A lavagem intestinal e a raspagem dos pêlos púbicos ainda é obrigatória?
– A episiotomia ainda é recomendada em todos os partos vaginais?
– A indução do parto com ocitocina é utilizada em quais situações?
– Quando pode acontecer o rompimento artificial da bolsa das águas?
– A analgesia de parto é obrigatória? Quando ela é indicada?
– A mulher precisa ser sedada logo após o parto cesariana? Ela pode escolher?

Bebê na Sala de Parto:
O bebê pode ir para o colo da mãe após o nascimento, considerando que ambos estejam bem?
– É possível amamentar o bebê ainda em sala de parto?
– O pai pode acompanhar o bebê nos primeiros cuidados do pediatra?

Pós-Parto na Maternidade:
Como funciona o alojamento conjunto? Ele é rígido ou flexível?
– Como funciona o berçário quanto a horários e turnos? Ele é rígido ou flexível?
– A mãe pode ser chamada pelo berçário para amamentar o seu bebê?
– Quem orienta e ajuda a mulher nas primeiras mamadas?
– A enfermagem ensina trocas/banho/cuidados com o umbigo tanto no alojamento conjunto quanto no berçário?
– O obstetra ou seu assistente passa todos os dias na maternidade?

A Volta para Casa:
– Quando ocorre a primeira consulta com o obstetra após o parto?
– Quando ocorre a alta obstétrica e o médico volta a ser seu ginecologista?
– Quando é recomendada a primeira consulta pediátrica?
– Posso ligar para o obstetra/ pediatra após o parto se eu tiver alguma dúvida?

Certamente é um longo roteiro que visa acompanhar o dia a dia da família.
No livro Da Gravidez aos Cuidados com o Bebê – Um manual para pais e profissionais você encontrará dados para enriquecer a discussão sobre o seu Plano de Parto.