Pouco divulgada, a depressão após o nascimento do filho acontece com 10 a 15 % dos pais. Quando nasce um bebê tudo muda e alguns homens sofrem com os novos tempos. Eles temem perder a liberdade, a mulher, amante, parceira, companheira. Temem responsabilidades sem fim.

Alguns não conseguem encontrar o seu lugar junto à mulher e o bebê, o que não é lá muito fácil. Outros não tiveram boas experiências com o próprio pai e não sabem o que fazer. Mergulhar no trabalho ou sair para se divertir, como adolescente, não deixa de ser um sinal de que o pai precisa de ajuda para encontrar o seu lugar.  Veja o que muitas vezes pode acontecer:

  • Indiferença e/ou desinteresse pelo bebê;
  • O homem cobra maior atenção da mulher;
  • Mostra indiferença e/ou desinteresse sexual súbito;
  • Tem crises agudas de ciúmes;
  • Irritabilidade e/ou dores no corpo;
  • Sonolência intensa;
  • Há um “faz de conta” de que nada mudou e, no extremo, o homem nega a paternidade.

 Como ajudar? Os homens precisam de atenção, assim como as mulheres e os bebês. É importante que o casal abra espaços no dia a dia para conversar e alimentar sua intimidade afetiva.

Consultas psicológicas no pós-parto são mais efetivas quando incluem as relações familiares.