Bebês prematuros são capazes de sugar e deglutir a partir da 34ª semana intra-útero. Quando nascem antes da 37ª semana são considerados prematuros e uma vez que ainda não têm força para sugar, beneficiam-se quando alimentados exclusivamente com leite materno, nem que seja por sonda. Em alguns casos a mulher tem uma produção de leite maior que a necessidade do bebê, nesses casos recomendamos que leia o texto “A doação de leite materno.” As mães precisam do apoio de profissionais competentes e de uma rede de apoio afetiva para lidar com a situação.

O recém-nascido que, por diferentes motivos, precisa se alimentar com mamadeira nas duas primeiras semanas de vida corre o risco de desmamar, uma vez que a mãe tende a perder a confiança na sua capacidade de amamentar. Alguns bebês podem voltar para o aleitamento materno exclusivo se a mãe tiver apoio e uma boa orientação. Por isso mesmo, uma equipe médica que aposta no aleitamento materno é fundamental para evitar o desmame precoce e toda a angústia resultante dessa impossibilidade.

Algumas mulheres, no entanto, não conseguem amamentar por motivos que ultrapassam a boa orientação médica, a vontade materna e um meio ambiente acolhedor. Como a fome do bebê é soberana, lembre-se que o calor do corpo materno, o seu olhar e as suas palavras são fundamentais. As mamadeiras para recém-nascido permitem que ele continue fazendo força para sugar. Não aumente o furo da mamadeira e tenha muito cuidado com sua higiene e processo de esterilização. Nesses casos a grande vantagem é que o pai também pode dar a mamadeira para o bebê e a mãe consegue descansar um pouco mais.