Mamar e dormir, dormir e mamar… é praticamente o que o pequeno bebê faz nos seus primeiros quinze dias de vida.

Raramente permanece acordado, a não ser que esteja sendo manipulado (banho ou trocas) ou apresente algum desconforto (frio, cólicas, fome). Aos poucos os períodos de vigília aumentam e em torno de 30 a 40 dias o bebê pode ficar acordado uma ou mais horas.

O intervalo entre o sono e a vigília varia muito de bebê para bebê. Existem os mais dorminhocos e aqueles que fazem, dia afora e noite adentro, pequenos cochilos.

Muitos pais, exaustos, reclamam que seus filhos ficam acordados a noite. Longe de tratar-se de uma desobediência, os recém-nascidos simplesmente não sabem o que é dia e o que é noite. Um pai de primeira viagem traduziu seu dia-a-dia: foi uma longa noite de 40 dias.. ou seja, cuidaram do bebê sem tréguas, dia e noite, até que o filho e também os pais começaram a se organizar.

Alguns recém-nascidos para adormecerem precisam mamar um pouco, serem embalados no colo ou balançados no berço, ou seja, ainda não “aprenderam” a dormir sozinhos.

No ventre materno sempre havia um pequeno balanço, o batimento cardíaco e a respiração da mãe para induzi-lo ao sono. O importante é que esta necessidade inicial possa ser compreendida e não se transforme num hábito prejudicial à família.

 

O bebê aos poucos deverá adormecer sem ajuda de outras pessoas, porém este é um processo gradativo que deverá transcorrer ao longo da primeira infância.

Qual a melhor posição para o sono do bebê?

Nos primeiros dias podemos colocar o bebê de lado (decúbito lateral), mas logo ele conseguirá virar-se de costas (decúbito dorsal) o que lhe será confortável e seguro.

O travesseiro é uma peça dispensável e não deverá ser usado quando o bebê estiver de bruços, pelo perigo de sufocá-lo. Na posição lateral, um travesseiro baixinho e macio é confortável. Pode-se ainda usar um travesseiro maior para calçar as costas do bebê, impedindo-o de virar-se e dando-lhe a sensação de aconchego.

A recomendação mundial e da Sociedade Brasileira de Pediatria é de que o bebê durma de “barriga para cima”. Esta posição visa reduzir a chance da ocorrência da Síndrome da Morte Súbita (raríssima no nosso país), que é quando o bebê é encontrado falecido no berço, sem nenhuma causa definida.

Apesar de esta ser a orientação mundial, os pediatras temem muito mais a aspiração de leite durante o sono e por isso recomendam colocar o bebê para dormir de lado, com apoio na barriguinha e nas costas, para que não se vire durante a noite. Ao mesmo tempo sabemos que os bebês são muito espertos e sabem se defender quando o leite volta durante o sono, tossindo e reagindo para não aspirá-lo.

Uma boa dica pode ser esperar o bebê arrotar antes de colocá-lo para dormir, lembrando que nem todos os bebês arrotam em cada mamada.

Consciente destas recomendações cada mãe deve escolher a posição que acredita ser a melhor para o seu filho dormir. E variar as posições.

Em alguns meses o bebê ganha autonomia e literalmente se vira para escolher a melhor posição para dormir profundamente e deixar os pais voltarem a dormir…

Você vai gostar de ler:
Como cuidar do bebê: O sono do bebê (2). Aprendendo a dormir..
Como cuidar do bebê: O sono do bebê (3). Insônia primária.
Como cuidar do bebê: O sono do bebê (4). Sinal de autonomia.